Mensagem oficial do Dia Mundial de Teatro 2012

por JOHN MALKOVICH

Fico honrado por o ITI – Instituto Internacional do Teatro me ter pedido para fazer este discurso comemorativo do 50º aniversário do Dia Mundial do Teatro. Vou então dirigir estes breves comentários aos meus companheiros de teatro, meus pares e meus camaradas.

Que o vosso trabalho possa ser apaixonante e original. Que ele possa ser profundo, comovente, contemplativo, e único. Que ele nos ajude a reflectir sobre a questão do que significa ser humano, e que esta reflexão seja guiada pelo coração, sinceridade, candura, e charme. Que consigam ultrapassar a adversidade, a censura, a pobreza e o niilismo, que muitos de entre vós serão obrigados a enfrentar. Que sejam abençoados com o talento e rigor para nos ensinar sobre o batimento do coração humano, em toda a sua complexidade, e com a humildade e curiosidade que faça disto o trabalho da vossa vida. E que o melhor de vós próprios – porque só poderá ser o melhor de vós próprios , e mesmo assim apenas em raros e breves momentos – consiga definir a mais fundamental questão “como vivemos nós?”

Desejo sinceramente que o consigam.

 

Biografia:

Actor , produtor, argumentista e realizador norte-americano, John Malkovich é, primeiro que tudo, um homem de teatro.

Depois de ter descoberto o teatro no início dos anos 70 (Illinois State University), ele fundou, em 1976, a famosa Steppenwolf Theater Company juntamente com Terry Kinney, Jeff Perry e Gary Sinise.

Ele alcançou a fama no cinema com a sua interpetação de Valmont em “Ligações Perigosas” de Stephen Frears, ao lado de Michelle Pfeiffer e Glenn Close. Depois deste papel que marcou uma etapa decisiva na sua carreira, ele actuará em mais de 70 filmes nos Estados Unidos e no estrangeiro.

Interpretando numerosos papeis em registos completamente diferentes, ele foi nomeado por duas vezes para o Óscar de melhor actor num papel secundário em “Places in the Heart” (1984) e em “In the line of fire” (1993), e foi premiado pelas suas interpretações em filmes tais como “Killing Fields”, “Ligações Perigosas”, “Being John Malkovich” ou “Changeling”.

Em 2011, ele dirige a sua terceira produção teatral em Paris, “Ligações Perigosas” no Théâtre de l’Atelier, depois do sucesso com “Hysteria” (Marigny, 2002) e “Good Canary” (Comedia, 2007) pela qual recebeu o prémio Molière de encenação.


Tradução de: João Vidigal

 

Autor: Fértil

A Fértil surge do encontro entre o teatro e a antropologia, duas formas de olhar para o ser humano como produtor de cultura e de questionar a sua condição de vida. Em 2010 é fundada a associação com o propósito de dar voz às criações e investigações que partam desse princípio. O teatro é por excelência o laboratório onde se permite a experimentação do nosso trabalho. Privilegiando as criações originais, permite-nos, como criadores, uma melhor abordagem às mais diferentes temáticas e a adequação destas ao nosso propósito, assim como a afirmação dos artistas envolvidos.