A Fértil de volta ao Encontros Mário Cesariny

Pela segunda vez, a Fértil marca presença nos Encontros Mário Cesariny. Desta vez com o espectáculo “O Meu País é um Insuflável” inspirado na obra poética de Mário Cesariny.

Queria de ti um país de bondade e de bruma
Queria de ti o mar de uma rosa de espuma

É deste poema, de Mário Cesariny, que partimos para criação do espectáculo “O Meu País é um Insuflável”, onde questionamos esta bondade e bruma sebastianista que nos assombra há centenas de anos, ou que não nos assombra, porque até gostámos deste sentimento meio melancólico que de certa forma representa a nossa portugalidade. A saudade não sabemos bem do quê.

O espectáculo acontece no dia 24 de Novembro, às 21h30, no Auditório da Fundação Cupertino de Miranda, V. N. de Famalicão.

“Eu é que conto” em Paredes

No dia 26 de Novembro, às 16h, vamos apresentar o “Eu é que conto” na Casa da Cultura de Paredes. Um espectáculo baseado nos contos dos Irmãos Grimm e alguns contos tradicionais para toda a família. Um verdadeira fonte de motivação à leitura infantil. Apareçam!

“Eu é que conto” hoje em Paredes de Coura

A Fértil regressa a Paredes de Coura com o espectáculo “Eu é que conto”  de Neusa Fangueiro, no programa Famílias, hoje, no Centro Cultural de Paredes de Coura, às 15h30. Amanhã serão apresentadas mais duas sessões para escolas do 1º ciclo. Estes espectáculos fazem parte do ciclo de programação REALIZAR:poesia.

Sinopse

Uma senhora que colecciona livros sabe-se lá onde, vem para contar uma história. Mas como é muito distraída chega atrasada, acaba por tropeçar em tudo e sem querer entra numa outra dimensão, a da imaginação. Confusa e com outros personagens a invadi-la constrói uma história diferente, divertida e cheia de criatividade. Baseando-se nos contos dos irmãos Grimm e histórias tradicionais portuguesas esta senhora dá-nos um momento de teatro surpreendente.

“Papim Papa Palavras” no Festival Era uma Vez no Mês (Braga)

O Papim vai estar no próximo Domingo, 20 de Agosto, no Festival Era Uma Vez no Mês, na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva (Braga), às 11h00.

Esta é a segunda vez que acontece este festival de teatro para infância e também é a segunda vez que a Fértil é convidada a participar neste novo projecto do Município de Braga.

 

SINOPSE

Papim, um monstro papão fora do vulgar, em vez de assustar meninos vem para lhes mostrar a magia das palavras existentes nas histórias. Um monstro imaginário criado pela mãe do Afonso através do seu brinquedo preferido, um móbil cheio de palavras ilustradas. Durante o espectáculo vamos brincar com muitas palavras e a sua sonoridade. A porta bate e o Papim, que é um papão, papa tudo o que lhe aparece à mão.

“Papim Papa Palavras” é uma criação dedicada à primeira infância e família.

Criação e interpretação Neusa Fangueiro Rui Alves Leitão
Criação Plástica Theresa Campos

“Eu é que conto” no Festival Altitudes

Passados sete anos da fundação da Fértil voltamos onde tudo começou, até Campo Benfeito. É com grande apreço e gratidão que nos apresentaremos amanhã, 15 de Agosto, no Festival Altitudes com o nosso espectáculo “Eu é que conto”.

O Teatro de Montemuro sempre foi muito especial para nós, por nos permitir pôr em marcha este projecto que agora tem sete anos de vida. Foi lá onde ultimamos o conceito para a Fértil, um projecto de Neusa Fangueiro e Rui Alves Leitão, foi lá onde reunimos os nossos co-fundadores, foi lá onde fizemos a primeira residência artística e foi lá que nos estreamos. Bem haja por nos permitirem isto tudo e agora pelo convite a participar no vosso tão querido festival.

Serviço Educativo do Teatro Diogo Bernardes 2016/2017 – O balanço

No passado ano de 2016 a Fértil foi convidada pelo director do Teatro Diogo Bernardes, Ponte de Lima, a fazer uma proposta de Serviço Educativo para o ano lectivo de 2016/2017. Das várias propostas apresentadas foram aceites duas: Curso de Teatro de Longa Duração para alunos do 4º ano e Curso de Teatro para Amadores.

Ontem foi apresentado em público, no Teatro Diogo Bernardes, o trabalho dos alunos do 4º ano, “Flor n.º 12”. O espectáculo parte da obra de José Saramago “A Maior Flor do Mundo” onde os alunos da turma 12 da EB1 de Ponte de Lima criaram e improvisaram vários momentos que mais tarde foram compostos numa peça sob a direcção de Neusa Fangueiro.

Também tinha sido já apresentado, em Maio, o trabalho dos actores das companhias de teatro amador de Ponte de Lima, o espectáculo “Cominhos”. Este projecto foi dirigido por Rui Alves Leitão.

Para além do desenvolvimento de várias técnicas de representação, os dois projectos propuseram-se a desenvolvimento da criação artística de raiz, pensada e enquadrada no propósito do curso, assim como no meio sócio-cultural onde se desenvolveu o projecto educativo.

O saldo é bastante positivo e a direcção artística da Fértil congratula-se pelo trabalho realizado. Não podemos deixar, mais uma vez, de agradecer ao Teatro Diogo Bernardes pela oportunidade e ao Município de Ponte de Lima pelo apoio.

Ficam alguns retratos dos trabalhos realizados.

“Eu é que conto” no Festival Eco-Famílias

No próximo domingo estaremos presentes no Festival Eco-Famílias no Parque da Lavandeira, em Vila Nova de Gaia. Um dia ideal para passear com os mais novos e para também conhecerem o nosso trabalho.

Eu é que conto é uma criação de Neusa Fangueiro que junta vários contos dos Irmãos Grimm, assim como alguns contos tradicionais. A fusão de varias histórias, conhecidas pelos mais pequenos, cria uma outra história nunca ouvida. Uma autêntica viagem ao universo dos contos.

Eu é que conto
11 Junho . 14h
Festival Eco-Famalias – Parque da Lavandeira [VN Gaia]