Amor (quase) perfeito . muito obrigado

obrigado

 

Muito obrigado às mais de duzentas pessoas que fizeram parte do público e dignificou o espectáculo com a sua presença.

Muito obrigado às senhoras do centro de convívio que amarraram este projecto com toda a sua vida e o levaram ao palco: Alexandrina Carvalho, Alice Amorim, Alice Costa, Alice Cunha, Alice Gonçalves, Beatriz Cunha, Conceição Dias, Helena Ferreira, Isabel Gomes, Lídia Durães, Lurdes Araújo, Margarida Araújo, Maria Freitas, Maria Oliveira, Virginia Arminda e ainda as que não subiram ao palco mas fizeram parte do processo: Celeste Furtado, Fernanda Bacelo, Helena Cunha, Helena Moreira, Isaura Santos e Rosário Pedro.

Muito obrigado à equipa que se juntou à Fértil nesta produção: Migvel Tepes (cenário), Rúben Marques (vídeo), Margarida Ribeiro (fotografia), César Cardoso (operação de som) e Nuno Lopes (design gráfico).

Muito obrigado aos apoios: Município de V. N. Famalicão, Paróquia de Nine, Junta de Freguesia de Nine, Bordados Cantim e Carnes Landeiro.

Muito obrigado a todos os contributos comunitários que se juntaram a nós e tornaram este momento único e memorável.

Autor: Fértil

A Fértil surge do encontro entre o teatro e a antropologia, duas formas de olhar para o ser humano como produtor de cultura e de questionar a sua condição de vida. Em 2010 é fundada a associação com o propósito de dar voz às criações e investigações que partam desse princípio. O teatro é por excelência o laboratório onde se permite a experimentação do nosso trabalho. Privilegiando as criações originais, permite-nos, como criadores, uma melhor abordagem às mais diferentes temáticas e a adequação destas ao nosso propósito, assim como a afirmação dos artistas envolvidos.