A Carruagem na Casa da Pedreira

ACNP_3

No âmbito da programação da Casa da Pedreira, no dia 13 de Fevereiro, às 21h30, vamos acolher o espectáculo As Coisas Pelos Nomes da companhia de teatro Carruagem – Tráfego de Ideias. Esta é a segunda criação da companhia e fala-nos da memória que querem partilhar e das suas vontades como jovens.

Sinopse

São dois jovens actores. A sério. Eles são realmente “jovens” e são realmente “actores”. E são esses dois jovens actores que vão estar em palco. A sério. São mesmo eles. Se houve ensaios? Centenas. Se é decorado? Sim. Se há texto? Também. Mas então é sobre o quê? Bom, é sobre eles. Não. É sobre nós. Sobre nós jovens, ou sobre nós actores, ou sobre nós pessoas. É sobre pessoas.

Queríamos falar sobre nem sempre termos voz. Queríamos falar sobre pessoas. Queríamos falar sobre pessoas da nossa família. Sobre coisas que nos lembramos. Sobre a nossa memória. Sobre a nossa memória de actores e a nossa memória de pes- soas. Também queríamos falar sobre o que nos esquecemos. Queríamos falar.

Tudo pode correr mal. Mas a nal, somos jovens e temos uma vida pela frente. É o que ouvimos todos os dias. Temos? E é por não sabermos nesta idade o que vamos saber mais tarde que nos devemos calar? “Se eu soubesse o que sei hoje quando tinha a tua idade, o mundo era meu.” Nós ainda não sabemos que coisa é essa, mas gostáva- mos que o mundo fosse nosso na mesma. Podemos? Temos vinte anos e achamos que vamos salvar o mundo. Estão rir? A rir com condescendência? Triste seria termos vin- te anos e não acharmos que íamos salvar o mundo, não?

Queríamos falar sobre nós, pessoas. Queríamos falar de memória. Sim, temos uma vida pela frente, mas também temos uma vida para trás. Temos outras vidas que, ape- sar de não serem nossas, foram as que nos deram vida. Queríamos falar sobre elas, por- que isso é falar sobre nós. Isso é falar sobre pessoas.

Então, isto é sobre dois actores, de vinte e poucos anos, jovens, que querem falar. E porque eles sabem o querem dizer, querem falar das coisas pelos seus nomes. Os de- les ou os das coisas? Os nomes.

Ficha artística

Dramaturgia e Concepção do projecto . Sara Barros Leitão
Direcção de actores e Apoio à dramaturgia . Daniel Macedo Pinto
Interpretação e Contributo à dramaturgia . Diana Barnabé Paulo Freitas
Produção . Mafalda Leal Moura
Sonoplastia e Operação . Luís Vieira
Desenho de luz . Eduardo Pousa
Concepção plástica . André Santos Mafalda Leal Moura
Design e Comunicação . André Santos
Fotogra a e Vídeo de cena . Mafalda Leal Moura

Autor: Fértil

A Fértil surge do encontro entre o teatro e a antropologia, duas formas de olhar para o ser humano como produtor de cultura e de questionar a sua condição de vida. Em 2010 é fundada a associação com o propósito de dar voz às criações e investigações que partam desse princípio. O teatro é por excelência o laboratório onde se permite a experimentação do nosso trabalho. Privilegiando as criações originais, permite-nos, como criadores, uma melhor abordagem às mais diferentes temáticas e a adequação destas ao nosso propósito, assim como a afirmação dos artistas envolvidos.