Fértil em residência artística no Teatro O Bando

Pela segunda vez a Fértil é acolhida pelo Teatro O Bando numa residência artística. A primeira vez aconteceu em 2015 numa residência pós-estreia do espectáculo “Quotidiano” que nos serviu para o apuramento estético e técnico do especulo, agora voltamos mas para a pesquisa de personagens para a nova criação “Conversas de Esquina” que tem estreia marcada para o dia 26 de Outubro na Casa das Artes de V. N de Famalicão.

A relação artística com o O Bando é uma relação de contaminação entre ambas as estruturas onde partilhamos os nosso pensamentos e inquietações que mais tarde dão lugar à criação. Esta partilha tem sido muito importante nos processos criativos da Fértil, quer ao nível técnico, quer ao nível estético e filosófico.

“Conversas de Esquina” é uma nova criação da Fértil com texto e encenação de Rui Alves Leitão e interpretação de Neusa Fangueiro e Tanya Ruivo.

SINOPSE

Num espaço e num tempo comum duas mulheres encontram-se e conversam. Que conversas são essas? Quantas vezes se encontram? E têm sempre conversa?

No ponto onde duas vias se intersectam, estas duas mulheres intersectam as suas vidas tendo sempre uma conversa pronta na ponta da língua. Diálogos em catadupa sem propósito premeditado, mas com o objectivo de se esclarecerem sobre o que as rodeia.

Esta esquina podia ser num espaço rural, mas também podia ser num espaço urbano, só não podia ser em Marte porque lá ainda não existem esquinas e estas mulheres não vivem lá.

FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA

Texto e encenação Rui Alves Leitão
Interpretação Neusa Fangueiro e Tanya Ruivo
Cenografia e figurinos Carlos Neves
Desenho de luz Paulo Neto
Produção executiva Cristiana Morais
Fotografia Margarida Ribeiro
Vídeo Rúben Marques
Co-produção Fértil Cultural, Casa das Artes de V. N. de Famalicão e Teatro Diogo Bernardes

Papim Papa Palavras na ACERT – Tondela

O “Papim” visita esta semana Tondela a convite da ACERT. Nesta sua visita o “Papim” irá contar a sua história aos mais pequenos dos Jardins-de-Infância de Tondela nos dias 10 e 11 de Maio, em quatro sessões especialmente organizadas para público escolar. No dia 12 de Maio, às 16h, abrimos as portas às famílias que queiram levar os seus pequenos para conhecer a história do “Papim”.

A ACERT é para a Fértil um dos parceiros mais relevantes da nossa história. O seu apoio institucional e artístico nestes 8 anos de vida da Fértil tem sido determinantes em alguns dos nossos trabalhos. Aproveitamos para deixar, mais uma vez, o nosso agradecimento público.

SINOPSE

Papim, um monstro papão fora do vulgar, em vez de assustar meninos vem para lhes mostrar a magia das palavras existentes nas histórias. Um monstro imaginário criado pela mãe do Afonso através do seu brinquedo preferido, um móbil cheio de palavras ilustradas. Durante o espectáculo vamos brincar com muitas palavras e a sua sonoridade. A porta bate e o Papim, que é um papão, papa tudo o que lhe aparece à mão.

“Papim Papa Palavras” é uma criação dedicada à primeira infância e família.

Criação e interpretação Neusa Fangueiro e Rui Alves Leitão
Criação Plástica Theresa Campos

Mensagem do 8.º aniversário da Fértil

Oito anos. Quase nem dá para acreditar. Sabemos que é apenas um número e vale o que vale, mas no nosso caso é um número que carrega connosco uma história e sobretudo uma vitória. Sim, sentimo-nos vitoriosos de ainda existirmos e de nunca desistirmos. Confessamos que foram muitas as vezes que tentamos parar, desistir e abandonar, mas houve sempre mais uma vez que decidimos continuar. Esta sensação de desistência e resiliência não é uma coisa do passado longínquo, continua actual.

O ano de 2018, tem sido incrível no número de coisas que nos tem vindo a acontecer. É para nós bastante esperançoso a forma de como temos conseguido conquistar o nosso espaço de acção. Este nosso oitavo ano de existência promete ser um ano de grandes desafios, quer pela aceitação dos nossos projectos por algumas entidades, quer pela quantidade de convites que temos vindo a ter para novas criações e direcções artísticas de vários projectos.

Partilhamos este ano de um certo júbilo de todo o nosso esforço feito e de nunca termos deixados cair o projecto da Fértil. Temos objectivos muito específicos, e por isso, muitas vezes os nossos projectos artísticos nem sempre são bem aceites neste novo mundo global e de vidas intensas de absolutamente nada. Tudo é rápido e nada existe. Nunca fomos de modas, nem nunca tivemos a pretensão de sermos mais do que o que somos. A Fértil assenta todos os seus ideais criativos, estéticos e filosóficos, na relação de simbiose entre a comunidade artística e a comunidade envolvente. E com esta relação viemos a conquistar o nosso espaço de acção e intervenção, local e nacional, assim como o público. É nisto que acreditamos e é através desta nossa visão que pretendemos desenvolver todo o nosso trabalho.

Feitos os 8 anos de vida, preparamo-nos para novas etapas da nossa vida, quiçá, se deitarmos (literalmente) o número oito, para uma etapa infinita.

Fica o nosso enorme bem haja ao público que nos segue, sem ele nós não fazemos sentido. Bem hajam também a todos os que colaboraram e ainda colaboram connosco durante este oito anos. Por fim, bem hajam às estruturas que nos apoiam financeiramente e às entidades parceiras.

Todos somos muitos.

A direcção artística,
Neusa Fangueiro
Rui Alves Leitão

Papim Papa Palavras em V. N. de Cerveira

O nosso Papim vai este fim de semana até Vila Nova de Cerveira para contar as suas histórias aos mais pequenos. Na sexta-feira teremos duas apresentações paras os Jardins-de-Infância e no sábado, dia 28 de Abril, às 11h, faremos uma apresentação para o público geral.

Papim, um monstro papão fora do vulgar, em vez de assustar meninos vem para lhes mostrar a magia das palavras existentes nas histórias. Um monstro imaginário criado pela mãe do Afonso através do seu brinquedo preferido, um móbil cheio de palavras ilustradas. Durante o espectáculo vamos brincar com muitas palavras e a sua sonoridade. A porta bate e o Papim, que é um papão, papa tudo o que lhe aparece à mão.

“Papim Papa Palavras” é uma criação dedicada à primeira infância e família.

Criação e interpretação Neusa Fangueiro e Rui Alves Leitão
Criação Plástica Theresa Campos

Estreado a 27 de Maio no Teatro Municipal de Vila do Conde.